Respeito

Saudações Positivas!

Saint-Exupéry no livro O Pequeno Príncipe já disse: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas”. Esta passagem me faz refletir sobre o tema respeito.

O que você tem cativado nas pessoas com as quais você convive? Ao pensar na resposta ecoa dentro de mim: respeito, respeito, respeito.

Mas afinal, o que vem a ser isso? Em uma busca rápida no dicionário online Aurélio veio a seguinte definição: “Consideração; sentimento que leva alguém a tratar outra pessoa com grande atenção, profunda deferência, consideração ou reverência: respeito filial. Obediência; acatamento ou submissão: respeito às leis”.

E aí a frase de Saint-Exupéry começa a ganhar corpo e forma: “Tu te tornas eternamente responsável pela forma como trata outra pessoa”.  Respeito: É simples dizer, mas difícil conceituar. A forma como se fala, o tom de voz, a expressão corporal e a linguagem não verbal são alguns exemplos de como cativamos.

Em pleno século XXI falar em respeito é o mesmo que “chover no molhado”?  Exupéry nos ensina que o essencial é invisível aos olhos, e só se pode ver com o coração.

Respeito – Competência Social

Respeito é uma competência emocional social. E como tal, ela surge nos momentos de interação, nas relações e nos relacionamentos. Então o que tens cativado?

Em momentos de muitos extremos perdemos a noção do meio termo. Tudo é direta ou esquerda, certo ou errado, bonito ou feio, gordo ou magro e assim por diante. O que é o certo? Nos países ocidentais o certo é a monogamia, no oriente médio, há os haréns de mulheres. O que é certo?

Estamos perdendo essa competência emocional do respeito pelo simples fato de não tolerarmos o outro. A opinião do outro não é relevante e, desta forma, eu o ignoro e preciso detonar. E para isso estamos em um ciclo de Fake News.

Ninguém nunca parou para pensar que a fake News é bíblica. A cobra foi a primeira a plantá-la gerando a discórdia de Adão e Eva e o fim do paraíso. Novamente uma passagem bíblica diz: “atire a primeira pedra aquele que não errou”. Quem tem teto de vidro não pode afrontar o outro.

Mas, porém, todavia e, contudo, o que fazer para voltar ao estado original?

O Pequeno Príncipe e o Respeito

O autor de o Pequeno Príncipe nos diz: “Eu não tenho necessidade de ti. E tu não tens necessidade de mim. Mas, se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro. Serás para mim único no mundo. E serei para ti única no mundo”.

Exupéry pode nos ensinar sobre o retorno ao respeito ao comentar: “Os homens não têm mais tempo de conhecer coisa alguma. Compram tudo já pronto nas lojas. Mas como não existem lojas de amigos, os homens não têm mais amigos. Se tu queres um amigo, cativa-me!”

Então cativa-me. Cative o respeito, a deferência, a obediência. Cative o amor ao próximo, a tolerância a paciência. O essencial é invisível aos olhos.

Faz sentido?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *