Paciência

Você se considera uma pessoa paciente?

Vamos começar nosso texto com a seguinte cena:

Hoje é o quinto dia do mês.
Você tem algumas reuniões no trabalho, filhos para buscar na escola, mercado para fazer.
Então descobre que seu cartão apresentou um problema. Só que você não consegue resolver por telefone, e o atendente recomenda que você vá a sua agência bancária ou a agência mais perto de você.

Agora são exatamente 12:30 h e você tira a senha de número 40. No painel a sua esquerda é chamada a senha 23. Dezessete pessoas estão à sua frente. Você começa a cronometrar o atendimento e percebe que cada pessoa é atendida em torno de 3 minutos. Mentalmente você faz as contas: será atendido daqui a 51 minutos, ou seja, as 13:21 h. Você te uma reunião as 14:00 h e ainda não almoçou.

Neste momento você sente ansiedade, inquietação e começa a ficar irritado. Eis que entra em cena a paciência.

Deixa eu te convidar para algumas reflexões:

  1. Você se considera uma pessoa paciente?
  2. Você sabe o que é paciência?
  3. Você Já parou para analisar a paciência e a inteligência emocional?

É sobre isso que iremos falar no nosso artigo de hoje: Paciência.

Paciência

Os significados de paciência podem ser entendidos como:

  • Uma virtude que faz uma pessoa suportar algo sem perder a calma, sem reclamar, aguentando, com tranquilidade, uma eventualidade, tristeza ou ação maldosa, e;
  • Faculdade de não desistir facilmente de algo, demonstrando assim, perseverança.

E aí te convido a reflexão. Será que no cenário acima, você conseguiria manter a calma e a tranquilidade?

Uma pessoa paciente age com calma, com atenção aos detalhes e com cuidado com o que está fazendo. Esse tipo de indivíduo sabe ouvir, ver, sentir e falar com parcimônia.

No cenário acima, o que você poderia fazer?

Entre as possibilidades, que tal ligar para avisar que a reunião será adiada para as 14:30 h? Ou quem sabe, avisar a seu companheiro(a) para buscar as crianças na escola, ou ainda, remarcar a ida ao supermercado.

Quer dizer então que uma pessoa paciente é aquela que pensa antes de agir, que escuta antes de falar, que conhece antes de criticar e que tenta antes de desistir?

É isso mesmo! A paciência é uma competência emocional pessoal. Portanto, ela é parte da inteligência emocional. 

Paciência e Inteligência Emocional

Daniel Goleman, um dos grandes pesquisadores sobre o tema, comenta que a inteligência emocional “é a capacidade de criar motivações para si próprio e de persistir num objetivo apesar dos percalços, de controlar impulsos e saber aguardar pela satisfação de seus desejos, de se manter em bom estado de espirito e de impedir que a ansiedade interfira na capacidade de se relacionar com os outros” (Goleman, 2012, p.63).”

É a capacidade de criar motivações para si próprio e de persistir num objetivo apesar dos percalços, de controlar impulsos e saber aguardar pela satisfação de seus desejos, de se manter em bom estado de espirito e de impedir que a ansiedade interfira na capacidade de se relacionar com os outros

Daniel Goleman

Outros estudiosos comentam que a inteligência emocional é a forma como monitoramos os sentimentos e emoções em nós mesmos e nos outros, bem como a forma que utilizamos esta informação para gerar pensamentos e ações.

De forma simples, inteligência emocional nada mais é do que a capacidade de utilizar a razão e a emoção de forma coerente e equilibrada.

Logo, a paciência como competência emocional pessoal nos proporciona tudo isso.
Agora você está começando a entender o motivo pelo qual essa competência é tão importante para nós?
Por que ela interfere tanto em nossa inteligência emocional?

Vamos refletir mais um pouco sobre o tema:

– Quando você está “dominado” pela paciência, isto é, quando você está calmo, tranquilo, perseverante, sem reclamar, atento no que está fazendo, raciocinando, com criatividade, não fica bem mais fácil equilibrar a razão e a emoção?

– Você acredita que o estado emocional do indivíduo baseado na virtude da paciência interfere significativamente em nossa Inteligência Emocional?

– E, finalmente, você está convencido de que, resultados oriundos de ações baseadas na paciência, provavelmente serão melhores do que aqueles baseados na impaciência ou impulsividade?

Agora pense um pouco e diga a si mesmo:

– Qual foi a última vez que eu perdi a paciência?
– O que me tira do sério?
– Qual são os gatilhos (fatos, contexto, circunstâncias, etc.) que me fazem perder a paciência?

Intenso, não é?
Parar para pensar no que nos faz sair do sério e perceber que tudo está ao meu controle.

Por fim, para te ajudar, faça o teste da paciência – Pacienciômetro – clicando no botão abaixo. Descubra o seu nível de paciência.  Ao final do teste, pegue um papel e escreva o que faz com que eu saia do sério? E que ações eu posso fazer, por pequenas que sejam, para elevar minha paciência.

Se quiser uma dica, respire fundo e conte até 10, todas as vezes que você sentir que vai explodir. A neurociência explica que contar até 10 nos ajuda a administrar o “sequestro da amidala” e voltar ao nosso equilíbrio emocional e racional.

Dúvida? Que tal praticar?

Um Grande Abraço, Seja Paciente e Muito Sucesso! E Saudações Positivas!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *